O Alto Comissariado para a Imigração e Diálogo Intercultural, I. P., abreviadamente designado por ACIDI, I. P., é um instituto público integrado na administração indirecta do Estado, dotado de autonomia administrativa.
O ACIDI, I. P., prossegue atribuições da Presidência do Conselho de Ministros, sob superintendência e tutela do Primeiro-Ministro ou de outro membro do Governo integrado na Presidência do Conselho de Ministros.
Tem como missão colaborar na concepção, execução e avaliação das políticas públicas, transversais e sectoriais, relevantes para a integração dos imigrantes e das minorias étnicas, bem como promover o diálogo entre as diversas culturas, etnias e religiões.

A missão específica do ACIDI encontra-se consagrada no Decreto-Lei nº 167/2007 de 3 de Maio.

  • Mais Diversidade,
  • Melhor Humanidade.

Torneio Intercultural "Corfebol Sem Fronteiras"

20-05-2013

O Alto Comissariado para a Imigração e Diálogo Intercultural (ACIDI), em parceria com a Federação Portuguesa de Corfebol e a Associação Juvenil Ponte, promoveu, no dia 19 de maio, o Torneio Intercultural - Corfebol Sem Fronteiras, associando-se assim às celebrações do “Dia Mundial da Diversidade Cultural para o Diálogo e o Desenvolvimento”.

O Torneio cuja dimensão desportiva decorreu no Pavilhão do Casal Vistoso, no Areeiro (Lisboa), contou com a participação de 19 equipas dinamizadas por 19 CLAII (exceto a do ACIDI)  - provenientes de norte a sul do país e Açores, representando cerca de 19 Concelhos (Alcanena, Aveiro, Azambuja, Chaves, Coimbra, Fundão, Lisboa, Loures, Lourinhã, Lousã, Moita, Moura, Odivelas, Ponta Delgada, Seixal, Sintra, Valongo, Vila Franca de Xira, Vila Real de Santo António) - e sagrou vencedores, em primeiro, segundo e terceiro lugar, as equipas de Ponta Delgada, de Sintra e da Moita, respetivamente.

A iniciativa que registou a presença de 21 nacionalidades diferentes (Alemã, Americana, Angolana, Belga, Brasileira, Búlgara, Cabo-Verdiana, Congolesa, Costa-Marfinense, Espanhola, Francesa, Guineense, Iraniana, Moçambicana, Moldava, Portuguesa, Romena, Russa, São-Tomense, Senegalesa e Ucraniana), teve por objetivo promover a integração social, a participação cívica e a interação entre cidadãos imigrantes e autótones, ao mesmo tempo que fomentou a igualdade de oportunidades, e o combate aos preconceitos e aos comportamentos e atitudes discriminatórios, através do desporto.

O Torneio Intercultural contou com cerca de 209 participantes, mas desde o mês de dezembro que, 355 participantes jogam Corfebol a nível local, entre estes, tal como na equipa do Alto Comissariado para a Imigraçã e Diálogo Intercultural- ACIDI, alguns são técnicos da Rede CLAII: VRSAntónio, Chaves e Ponta Delgada. Participaram também alguns parceiros dos CLAII a nível local na dinamização do projeto, nomeadamente as Associações de Imigrantes.

Na totalidade, estiveram envolvidos no projeto cerca de 34 voluntários, tanto da Federação Portuguesa de Corfebol, como da Associação Juvenil Ponte.

O Corfebol é a única modalidade desportiva coletiva que obriga à constituição de equipas mistas, compostas por igual número de homens e mulheres. No caso do “Corfebol sem Fronteiras”, as equipas integraram cidadãos autótones e estrangeiros, promovendo assim o reforço da diversidade cultural, como forma de expressão e de valorização da sua presença e diversidade na sociedade portuguesa.

A iniciativa contou com o apoio do Fundo Europeu para a Integração de Nacionais de Países Terceiros (FEINPT) e foi desenvolvida em parceria com a Rede de Centros Locais de Apoio à Integração de Imigrantes (CLAII).



Ver Mais Notícias

web engineered by blip.pt